Medicamentos

Quais medicamentos devem estar em um carrinho de emergência?

Quais são os tipos de carrinho de emergência médica existentes? Quais são os principais medicamentos que devem se fazer presentes nesse carrinho?

Descubra aqui de forma simples e rápida as respostas para essas e outras questões que instigam diversos profissionais da área da saúde.

O Carrinho para transporte em laboratório é um armário mais do que necessário. Esse equipamento é utilizado por médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

O Carrinho de emergência hospitalar é utilizado para diversos procedimentos médicos, mas principalmente para casos de paradas cardíacas e casos em que se exigem socorros imediatos.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, a nomenclatura oficial é Carrinho de emergência.

Por conta da necessidade imediata que se pode ter do Carrinho para laboratório em aço inox, a Sociedade Brasileira de Cardiologia propõe a padronização de todos eles, para igualar os equipamentos neles encontrados, assim como o lugar de cada um.

Tirando o desnecessário e colocando o necessário no Carrinho para transporte de amostras, o desperdício pode ser evitado e o atendimento, que requer rapidez, pode ser agilizado.

Quais são os setores em que os carrinhos de emergência devem estar presentes indispensavelmente?

Para garantir o atendimento eficaz e de qualidade, os seguintes setores não pode deixar de possuir essa ferramenta:

  • Unidade de Internação;
  • Pronto Socorro;
  • Unidade de Terapia Intensiva;
  • Unidade Coronariana;
  • Centro Cirúrgico;
  • Unidade Ambulatorial.

Os equipamentos, suas quantidades e a quantidade de substâncias presentes devem ser estipulados dependendo da necessidade e do uso que a rotina no centro médico exigirá.

Os médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, como dito, devem estar preparados para atender de forma ágil, então, não podem faltar medicamentos nem drogas e estes devem estar disponibilizados de forma fácil.

Entretanto, aí entra um questionamento: de quem é a responsabilidade de checar o Carrinho de emergência usado?

Afinal, quem concede os medicamentos e muitos equipamentos, são os farmacêuticos, entretanto, o Conselho Federal de Farmácia alega não ser privativo do farmacêutico o serviço de conferir e repor o Carrinho de parada preço.

Na maioria dos institutos hospitalares, esse serviço fica ao encargo de enfermeiros, geralmente diaristas. Após conferir e repor os itens, deve-se deixar disponível aos médicos e enfermeiros o resultado.

O que deve haver num carrinho de emergência?

Junto ao carro de urgência, é necessária a presença de uma tábua de compressão torácica, um desfibrilador e um monitor.

A primeira gaveta deve conter, para diluição, os seguintes itens: ABD (ampolas com 5ml e 10ml) e Cloreto de sódio (ampola de 10ml a 20%). Além disso, alguns itens que também devem estar presentes na gaveta em questão:

  • Aminofilina (24mg/ml): Dilata brônquios e vasos pulmonares, relaxando a musculatura lisa; dilata artérias coronárias e aumenta o débito cardíaco e a diurese; estimula a parte respiratória.
  • Requer administração intravenosa lenta (10 a 20 minutos);
  • Bicarbonato de sódio (ampola de 10ml a 8,4%): para acidose metabólica, hipercalemia, hipermagnesemia, intoxicações ocasionadas por antidepressivos tricíclicos, uso de cocaína ou algo que bloqueie o canal de cálcio. Em caso de emergência, diluir a 1:1 com ABD e injetar, administrando a dose em pelo menos 2 minutos. Caso não seja emergência, fazer uso da bomba de infusão e correr em uma ou duas horas;
  • Cloreto de potássio;
  • Diazepam;
  • Dopamina;
  • Epinefrina;
  • Sulfato de magnésio;
  • Heparina;
  • E entre outros.

A segunda gaveta deve conter os seguintes itens:

  • Agulhas (de 25 x 7 e 40 x 12);
  • Jelco (nº18, 20 e 22);
  • Equipo microgotas e macrogotas;
  • Cateteres;
  • Sondas uretrais de variados tipos;
  • Sonda nasogástrica;
  • Lâmina de bisturi;
  • Nylon com agulha;
  • Seringas;
  • Xilocaína.

A terceira gaveta deve possuir os seguintes equipamentos:

  • Bicarbonato de sódio 5%;
  • Eletrodos;
  • Luvas cirúrgicas;
  • Soro glicosado;
  • Tubos.

A quarta e última gaveta deve ter à disposição:

  • Ambu;
  • Cânula de Guedel;
  • Tubo;
  • Lâmina para laringo de variados tipos;
  • Laringoscópio;
  • Látex;
  • Máscara e óculos para proteção.

Por fim, para resumir, deve-se lembrar que a presença de um carrinho de emergência, assim como a disponibilidade de ferramentas e medicamentos, é indispensável para o bom atendimento do centro médico.

Além disso, deve-se se atentar sempre para a reposição dos itens. Independentemente de onde for comprado o carrinho, deve-se pesquisar bem os preços pois existem dos mais variados tipos e tamanhos no mercado.

Não só os profissionais da área agradecem, mas também as pessoas que serão atendidas.