Hospital

O que são as Santas Casas de Misericórdia?

As Santas Casas de Misericórdia são hospitais filantrópicos criados em Portugal, em 1498, para prestar auxílio a enfermos, inválidos e recém-nascidos abandonados na instituição. 

No Brasil, elas atualmente fazem muito mais do que isso e são essenciais para o nosso sistema público de saúde. 

Segundo o Ministério da Saúde, o segmento tem mais de 2,5 mil hospitais e atende pelo menos metade da demanda do Sistema Único de Saúde (SUS), incluindo o relevante número de transplantes e procedimentos de alta complexidade. 

Não por acaso, a residência médica na Santa Casa é uma das mais concorridas do país.

A origem católica

A primeira Santa Casa de Misericórdia de Portugal foi idealizada pela rainha D. Leonor, viúva de D. João II. 

Era católica e envolvida com causas sociais, especialmente no que dizia respeito aos pobres, enfermos e órfãos, ela patrocinou a fundação da primeira instituição, que é vista por alguns como a primeira ONG do mundo.

Foi a rainha quem instituiu a Irmandade de Invocação a Nossa Senhora da Misericórdia, que inspirou o Compromisso da Misericórdia de Lisboa, que virou o regulamento da instituição. 

Os mandamentos são baseados nos ensinamentos de São Tomás de Aquino, entre os quais se destaca o cuidado e assistência aos doentes.

Entre 1498 e 1525, quando a rainha faleceu, foram criadas em solo português dezenas de hospitais com essa filosofia e regulamento. 

Desde então, essas instituições prestam assistência social e de saúde e estão presentes em cidades por todo o território português e em vários outros países do mundo.

No Brasil

Oficialmente, a primeira Santa Casa do Brasil foi inaugurada em Santos, ainda no período colonial, em 1543.

Mas alguns registros dão conta de que a irmandade já havia começado a atuar desde 1539, em Olinda, administrando um hospital que atendia, especialmente, enfermos de navios e portos.

Nos anos seguintes, foram criados hospitais da Santa Casa, também na Bahia, Rio de Janeiro e Espírito Santo. 

Desde então, nesses e em outros estados, a instituição esteve também intimamente ligada à pesquisa e foi a responsável pela criação dos primeiros cursos da área da saúde, como Enfermagem e Medicina.

Hoje, em várias cidades brasileiras, as Santas Casas são importantes centros de referência em saúde, sendo especializadas em diversas áreas. 

Em Porto Alegre, por exemplo, funciona um complexo com sete hospitais e até um centro cultural. Em São Paulo, há dezenas por todo o estado.

Como funcionam

As Santas Casas em funcionamento do Brasil ainda seguem os princípios católicos que orientaram sua fundação. 

No entanto, a forma de atendimento depende de cada administração. Algumas atendem particular ou por convênios, enquanto outras são ligadas ao SUS e oferecem assistência gratuita. O financiamento das atividades vêm de lugares como:

  • Ministério da Saúde;
  • Governo Federal;
  • Doações de pessoas jurídicas;
  • Doações de pessoas físicas. 

Outras, permanecem ligadas à Igreja Católica, que financia parte dos custos e, muitas vezes, mantém representantes no conselho administrativo.

Em geral, o atendimento nas Santas Casas ligadas ao SUS é feito por encaminhamento das unidades básicas de saúde do sistema. Em muitas cidades, incluindo a maioria das capitais, elas também são referência em atendimento de urgência, 24 horas, sete dias por semana.

Por sua íntima ligação com a pesquisa, desde a origem, várias Santas Casas pelo país também são espaço de aprendizado para estudantes da área da saúde. 

Orientados por profissionais de carreira, eles podem se especializar enquanto vivenciam, na prática, como é trabalhar numa instituição com tanta história.