Cuidados Exames Procedimentos cirúrgicos

Qual a importância da urologia e da ginecologia?

Muitos problemas na saúde do homem estão associados à urologia. Dentre esses problemas podemos citar: a disfunção erétil, câncer no pênis, cálculo renal, câncer no testículo, etc.

Esse ramo da medicina está ligado ao tratamento do trato urinário do homem e, também, tem como área de estudo todo o sistema reprodutor masculino.

A ginecologia, por outro lado, é o ramo da ciência que estuda todo o sistema reprodutor feminino, sendo de extrema importância para todas as mulheres.

Dentro da ginecologia, trata-se vários tipos de doença como: câncer, infertilidade, menorragia, vaginites, etc.

Procedimentos realizados pela urologia

Um dos procedimentos mais tranquilos é chamado de vasectomia. Esse tratamento tem como objetivo a esterilização do homem. Aqui são encontrados os condutores de espermatozoides e eles, então, são conectados por meio de um fio.

A cirurgia dura em média trinta minutos. É importante que o homem fique atento a dores na região após a cirurgia, ou qualquer tipo de desconforto. Situações alarmantes incluem inchaço e febre.

A Postectomia é um procedimento que tem como objetivo a remoção do prepúcio, que nada mais é que o excesso de pele na parte da glande. A cirurgia é bem rápida, aplica-se anestesia na área e se remove o excesso de pele.

Não interfere, de maneira alguma, na rotina do paciente, também não havendo a necessidade de uma internação.

A Cirurgia de postectomia infantil é realizada quando a criança sofre de infecções na parte mucosa que reveste a glande, e também ocorre por questões religiosas.

Também se realizam os tratamentos para câncer de próstata. Os mais comuns são sempre os cirúrgicos, onde ocorre a remoção da próstata através do abdômen.

O paciente fica internado por três dias para receber antibióticos e remédios para acelerar a recuperação – além do acompanhamento para verificar qualquer tipo de infecção.

Um procedimento não muito comum é a Bioplastia peniana. É considerado um procedimento não cirúrgico, que é feito para o engrossamento do pênis através da aplicação de uma substância que não é absorvida pelo corpo.

É importante que o paciente não possua nenhum tipo de alergia ao produto, o polimetilmetacrilato, para evitar sequelas.

Procedimentos realizados pela ginecologia

As perguntas mais frequentes são: como é feito o tratamento para engravidar? Tratamento para engravidar quanto custa?

Um dos métodos mais utilizados é a Inseminação artificial, que é uma técnica médica assistida, que se constitui pela colocação do sêmen diretamente nas vias genitais femininas.

É procurado em casos onde o espermatozóide não é capaz de atingir as trompas e prosseguir para a fecundação. O preço tem uma variação de R$1.500,00 e R$3.000,00, dependendo da clínica escolhida.

A Fertilização in vitro é outro exemplo desses procedimentos, que é constituída pela fecundação do óvulo por um espermatozoide dentro de um laboratório, o processo é mediado por médicos, que acompanham o processo de desenvolvimento, também.

É procurada, geralmente, por pessoas que não obtiveram sucesso com a técnica anterior.

O exame de Papanicolau é realizado por meio da coleta das células do útero por meio da raspagem. Seu principal intuito é averiguar a possível existência de células cancerígenas.

É recomendado para mulheres que já tiveram a primeira relação sexual ou que tenham completado seus dezoito anos. É recomendado ser feito anualmente.

O exemplo mais famoso de exame praticado na ginecologia é a ultrassonografia. Esse procedimento consiste em emitir ondas sonoras na parede abdominal ou na parte da vagina.

Essas ondas são refletidas dentro do corpo, montando uma imagem, que é mostrada em um monitor próximo.

É de extrema importância para o acompanhamento da gravidez, pois é através dele que se obtêm a condição fetal e é possível descrever, com precisão o tempo de gestação.

Esse procedimento também é necessário para a localização de tumores e cistos e é totalmente indolor.

A ginecologia também realiza trabalhos de biópsia. Com a ajuda do colposcópio, são retiradas amostras de tecido do colo do útero para análise.

A coleta realizada na área relacionada ao colo do útero não necessita de anestesia, pois é um procedimento rápido, simples e indolor. Para a coleta feita na parte da vulva se emprega o uso da anestesia, além de maior atenção e delicadeza.

São exames que têm como intuito principal avaliar a condição da parte interna da área vaginal, e se há indícios de câncer.