Exames

Exame admissional e demissional: tudo que você tem que saber

segurança do trabalho é uma preocupação que todas as empresas, independentemente do ramo em que atuam, devem ter.

Os diplomas legais pertinentes afirmam que cabe ao empregador proporcionar um ambiente laboral sadio, podendo sofrer sanções se não o fizer.

Contudo, além de uma obrigação, isto é algo estratégico.

Afinal, quando os empregados adoecem por conta de suas atividades do emprego, há um aumento considerável nas taxas de rotatividade, bem como uma queda na assiduidade.

Ambos significam prejuízos.

exame demissional e admissional é um dos mecanismos que devem ser usados para verificar o estado de saúde dos colaboradores.

Além de um direito trabalhista, trata-se de uma maneira de proteger o negócio de ações judiciais indevidas. Aprenda mais sobre estes procedimentos a seguir:

Para que servem os exames?

Ambos os exames têm como objetivo traçar um panorama geral do estado de saúde do trabalhador. Neles, são levantados aspectos como:

  • Doenças ocupacionais prévias;
  • Doenças comuns dentro da família;
  • Pressão e frequência cardíaca;
  • Problemas posturais.

Por mais que os fatores analisados sejam os mesmos em ambos, os objetivos de cada procedimento são diferentes.

Do mesmo modo, vale ressaltar que a legislação prevê que tanto o preço exame admissionalquanto demissional devem ser cobertos pela empresa.

Exame admissional

O exame admissional deve ser feito antes da formalização do vínculo de trabalho – ou seja, antes da assinatura da carteira e do início das atividades.

O objetivo é verificar se o estado de saúde do trabalhador permite que ele execute a atividade para a qual foi contratado sem riscos.

Por exemplo, uma pessoa com um sério desvio postural não deve trabalhar levantando caixas ou outros artigos pesados.

Do contrário, pode agravar sua condição.

Além disso, o objetivo do procedimento é verificar se houve mudanças no estado de saúde do empregado entre sua entrada e saída na empresa.

Isso é feito por meio do cruzamento com dados do exame demissional.

Exame demissional

Como o próprio nome diz, o exame demissional é feito durante o processo de desligamento de um profissional de uma empresa.

O procedimento é o mesmo do admissional: traça-se um panorama geral a partir da observação de alguns indicadores posturais.

É muito importante que a empresa insista na realização deste processo durante a demissão, por mais que haja resistência do funcionário.

Isto pois, se o exame indicar que não há nada de errado, mas, posteriormente, o ex-empregado afirmar que a empresa prejudicou sua saúde, ela pode se defender.

Da mesma maneira, os resultados dos exames admissionais podem indicar a existência de problemas de saúde ocupacional dentro do ambiente de trabalho.

Eles devem ser sempre sanados.

Certos cargos têm procedimentos especiais

Vale ressaltar que as características de certas atividades fazem com que seja necessário realizar procedimentos específicos.

Por exemplo, profissionais que são expostos a certos elementos devem passar por um raio x, de modo a verificar a existência de alguma infecção pulmonar.

Do mesmo modo, funcionários que atuem em ambientes ruidosos (como fábricas), devem passar por um teste auditivo, com o objetivo de saber se ouve alguma perda deste sentido durante seu período na empresa.

Em ambos os casos, as particularidades da função exigem que o exame seja feito periodicamente, não apenas na admissão e na demissão.

Por conta disso, pode ser interessante que a empresa tenha um pequeno consultório médico em sua sede, com alguns equipamentos básicos, como um aparelho de raio x móvel.

 Desta forma, os testes podem ser feitos mais rapidamente.

Evitando danos à saúde do trabalhador

Porém, não basta fazer os exames e preocupar-se com a saúde do trabalhador apenas para cumprir as obrigações que a lei impõe.

Uma preocupação legítima com o ambiente laboral mostra aos funcionários que a empresa se importa com eles, o que ajuda a melhorar no clima organizacional.

Uma das medidas que podem ser aplicadas neste sentido é a criação de uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa).

Como o próprio nome diz, trata-se de um grupo, formado dentro da empresa, que tem o objetivo de identificar possíveis riscos de acidentes e saná-los.

Da mesma maneira, cabe ao estabelecimento proporcionar todo o treinamento de que os membros precisão para exercer a função, em no máximo 30 dias após a posse.