Exames

Equipamentos e exames utilizados na gravidez

Para se ter uma gravidez segura e saudável, é necessário sempre monitorar o desenvolvimento da gestação.

Este monitoramento se dá por meio de consultas periódicas aos médicos ginecologistas e obstetras e também pelos exames solicitados por estes profissionais.

Basicamente, os profissionais acompanham a variação de peso da mulher, bem como a variação da pressão arterial e, de acordo com a necessidade, indica suplementos alimentares para reforçar a saúde durante este período.

A lista de exames obrigatórios e opcionais é bem diversa, mas inclui, em sua essência, monitoramento via exames de sangue, de urina, exames de imagens, como as famosas ultrassonografias e ainda exames ginecológicos, tudo a depender de cada fase e circunstância da gestação (veja alguns exames abaixo).

A quantidade e os tipos de exames variam de acordo com a etapa da gravidez. Por exemplo, o primeiro trimestre envolve mais procedimentos do que a reta final da gestação.

Isso acontece porque, na fase inicial, é imprescindível checar como está a saúde da mãe, para que o bebê possa se desenvolver de forma saudável sem interferências negativas no corpo da mulher.

Na metade e reta final da gravidez, com a garantia de que a saúde da mãe estava dentro da normalidade, o foco dos exames e procedimentos se dá para o desenvolvimento do bebê, ou seja, um acompanhamento mais detalhado sobre como está a formação e funcionamento do organismo da criança dentro da barriga da mãe.

Em caso de alguma intercorrência na gravidez que a mãe precise ficar em tratamento em casa, o colchão caixa de ovo é necessário para evitar machucados no corpo.

Acompanhando a gestação

Os exames fundamentais podem ser feitos de forma gratuita pelo Sistema Único de Saúde (SUS). No entanto, alguns deles não são encontrados em todos os postos ou unidades de saúde, pois demandam de equipamentos que, nem sempre, aquele local possui, como ultrassom que também necessita de cama.

Entre os exames e procedimentos realizados durante a gravidez estão:

  • Hemograma;

  • Tipo sanguíneo e fator RH;

  • Glicose em jejum;

  • Exames de sangue VDRL, para HIV, para rubéola, CMV, toxoplasmose, hepatite B e C;

  • Exame de urina e urocultura;

  • Ultrassom;

  • Exames ginecológicos como o Papanicolau.

Os primeiros exames a serem feitos são os ginecológicos e papanicolau, para fazer uma avaliação sobre a saúde íntima da mulher e detectar qualquer tipo de infecção ou suspeita de doenças. Para fazer esse exame, algumas clínicas utilizam locação de cama hospitalar.

O hemograma deve ser feito no primeiro e no segundo trimestre da gestação para monitorar qualquer tipo de alteração nas células do sangue, bem com verificar se há infecção ou deficiência de algum tipo de substância. Por meio da glicose em jejum descobre se há diabetes gestacional para que seja feito o tratamento adequado.

Também no início verifica-se o tipo sanguíneo e fator RH, para checar qual o grupo sanguíneo da mãe, bem como descobrir se é positivo ou negativo.

Se o fator RH da mãe for negativo e o do bebê positivo, por exemplo, quando o sangue do bebê entrar em contato com o da mãe, o sistema imunológico da mulher pode produzir anticorpos contra a criança, podendo gerar, em uma próxima gravidez, algum tipo de doença no sangue do bebê.

Os exames de sangue de: VDRL, serve para diagnosticar a sífilis, devendo ser repetido em todas as fases da gravidez; HIV, diagnostica a presença do vírus que causa a Aids e pode ser transmitido para o bebê; Rubéola, para descobrir se há a doença que pode provocar problemas neurológicos no bebê.

Além disso, o CMV identifica a infecção pelo citomegalovírus, que pode gerar malformações no feto; Toxoplasmose, para diagnosticar se há a presença da doença que pode provocar atraso mental ou cegueira; Hepatite B e C, para prevenir parto prematuro ou bebê de baixo peso.

Além destes procedimentos feitos por meio da coleta de sangue, tem-se os exames de urina e urocultura, para identificar uma possível infecção urinária que, se não for tratada adequadamente, pode gerar um parto pré-maturo.

Tem-se ainda exames de ultrassom, para detectar a presença do embrião, o tempo de gravidez, a saúde cardíaca do bebê bem como o crescimento dele., ambos utilizam cama com colchão solteiro. 

Descubra o sexo do seu bebê o mais rápido possível

Um dos exames que não são obrigatórios, porém faz parte do calendário dos pais que querem descobrir o sexo do bebê mais cedo é o exame de sexagem fetal.

Normalmente, pode-se descobrir se o bebê é menino ou menina a partir da décima quinta semana de gravidez, por meio da ultrassonografia.

No entanto, o exame adianta esta descoberta já para quinta semana de gestação, por meio de um exame de sangue gravidez preço acessível.

O procedimento é simples. Trata-se de uma coleta de sangue materno em que se detecta, além do DNA da mãe, o DNA fetal livre.

A partir do momento em que o cromossomo Y é descoberto, é dado o diagnóstico de menino. Quando não há a presença dele, trata-se de uma menina. O exame de sexagem fetal preço é acessível.

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *