saudável sem ser chato
Alimentação Bem estar

A estratégia n.º 01 para ser saudável sem ser chato

Já reparou como a alimentação saudável se resumiu a uma chatice só? A mistura frango-batata-doce-salada já está ultrapassada e tudo o que envolve a tribo dos saudáveis parece difícil demais de acompanhar.

Mas não precisa ser assim.

Realizaremos uma digressão lá para as terras banhadas pelo Mar mediterrâneo para que você se convença que a boa alimentação não é sinônimo de comida sem graça.

Já ouviu falar das Blue Zones?

Blue Zones são regiões do planeta onde as pessoas envelhecem bem e sem muitos problemas de saúde. Envelhecer bem nesse contexto significa que há vários centenários – idosos que chegam aos cem anos saudáveis e praticamente sem indícios de demência.

Já faz um tempo que cientistas tentam descobrir qual é o segredo para essa longevidade e perceberam que existem alguns pontos em comum entre eles. Por exemplo:

  • Alimentação saudável;
  • Exercícios físicos regulares;
  • Vida livre de estresse;
  • Bom convívio com a comunidade;
  • Vinho ou suco de uva;
  • Equilíbrio alimentar.

Essas são apenas algumas das ações que fazem parte do dia a dia dos habitantes das Blue Zones, que estão localizados em Sardenha (Itália), Okinawa (Japão), Nicoya (Costa Rica), Ilha de Ikaria (Grécia) e Loma Linda (Estados Unidos).

Como esse artigo é focado em alimentação saudável, focaremos no tipo de comida que faz parte do cardápio dos centenários das Blue Zones

Como são povos simples e rudimentares, sua alimentação consiste basicamente em frutas, legumes, vegetais, oleaginosas, cereais e sementes. Eles também levam a sério o conceito de Slow Food – comer devagar e realmente ter tempo para experimentar sabores diferentes.

Carne vermelha quase não entra no cardápio, mas eles não se restringem ou privam de tudo por uma vida melhor.

 Eles fazem o que realmente deve ser feito: se alimentam da terra. Plantam e colhem nas suas estações.

Sua mesa é servida de amor. E quando estão satisfeitos: levantam-se. O que podemos aprender com isso?

Comer bem não é sinônimo de chatice!

Nós não vivemos em Blue Zones e nossa alimentação é completamente recheada de produtos processados e artificiais. Mas isso não significa que precisamos reduzir o cardápio a uma ou duas opções diárias.

Comer ovo diariamente para fins de emagrecimento é bom. Porém, é importante variar, experimentar, criar sabores diferentes e realmente sentir o gosto do que está comendo. 

Desligar-se do mundo na hora da refeição ao invés de engolir tudo rapidamente é uma das dicas dos centenários para uma vida longa e saudável.

 Outra forma de garantir uma verdadeira explosão colorida à mesa é cultivar uma horta natural.

Tendo a sua própria horta no quintal de casa, fica fácil estender a mão e colher uma boa opção de produtos que realmente vão saciar e oferecer o melhor da gastronomia caseira. O azeite também é bem-vindo no cardápio Blue Zone. 

Um banquete de comida da terra regado a um azeite de qualidade é imprescindível para esses povos. 

Pensando em toda essa relação entre alimentação saudável, qualidade de vida e prazer na degustação, introduziu-se no mundo o conceito de Food Tech .

Já ouviu falar?

 

Food Tech: o que é, conceito e tendência

Food Tech refere-se basicamente à nova geração de startups que estão revolucionando o mercado de alimentos

. Traduzindo ao pé da letra, Food Tech significa (Comida + tecnologia) e surgiu como resposta às novas demandas de consumidores engajados com hábitos alimentares saudáveis e sustentáveis.

E o termo não se refere apenas à alimentação em si, mas a toda a cadeia de processo de alimentos, inclusive distribuição e consumo.

Basicamente, as novas pesquisas dessa vanguarda alimentícia visam responder aos desafios do mundo moderno, tais como:

  • crescimento demográfico e segurança alimentar;
  • desperdício de alimentos;
  • digitalização da sociedade;
  • efeitos das mudanças climáticas;
  • falta de recursos naturais e
  • impacto ecológico da produção de alimentos.

Existem muitas startups aderindo ao conceito Food Tech ao redor, basta observar a nova forma de consumo e a infinidade de produtos à disposição.

 Inclusive, alguns aplicativos de entrega já colocaram no menu itens como “horta” ou “orgânicos” para que você consuma produtos naturais sem precisar necessariamente ter uma horta em casa.

Dicas de cestas deliciosas para presentear quem quer comer bem sem sair da dieta

Bom, já vimos anteriormente a importância da alimentação saudável para viver bem e com qualidade.

 Vimos também um pouco sobre os longevos e sua dieta livre, prazerosa e calma. Agora, na prática, como presentear alguém que está fazendo algum tipo de dieta e ensinar a lição que alimentação boa não é sinônimo de chatice?

Existem empresas especialistas em resolver a equação gostoso+saudável. Dentre as opções oferecidas no cardápio estão:

  • Salgadinho de Milho não Transgênico sabor Queijo;
  • Banana-passa com chocolate 54%;
  • Mix de amendoim, milho espanhol, castanha de caju, noz-macadâmia, noz-pecã e semente de abóbora. Rico em antioxidantes vitaminas e minerais;
  • Milho espanhol com toque de mel e mostarda;
  • Damasco selecionados cobertos com chocolate 70% cacau;
  • Biscoito de aveia, azeite extravirgem e açafrão;
  • Panetone vegano com receita artesanal elaborado com mix de farinhas sem glúten, sem adição de leite, corantes ou qualquer outro produto de origem animal.
  • E muitos outros.

Ao montar uma cesta para adeptos de dietas mais rigorosas é importante aliar sabor, criatividade e outras delícias saudáveis.

Resumindo a ópera, você não precisa seguir dietas restritivas demais para viver bem e ter qualidade de vida. Claro, não é errado seguir uma prescrição médica alimentícia. Errado é seguir dietas “milagrosas” por conta própria e acabar adoecendo no processo.

O conceito de Slow Food é um bom passo para a “iniciação” nos caminhos dos centenários das Blue Zones. 

Sentir o gosto do alimento, produzir e colher sua própria refeição, aderir às novas tendências das Food Techs, diminuir o ritmo para não ter uma crise de Burnout é o começo da trilha que leva à qualidade de vida.

A alimentação saudável não precisa ser chata. Pode ser regada a um bom azeite, uma taça de vinho e muito sabor. Basta encontrar o equilíbrio entre os alimentos e servir-se da boa gastronomia que a terra tem a oferecer.

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *